Conte sua história


 FORMIGUENTA

 CONFIANÇA

 EU CONHECI A BEBEL

 IZABEL VIVE EM NÓS

EU CONHECI A BEBEL. E VOCÊ?

Queridos sócios e colaboradores, estamos dedicando este mês à nossa amada Izabel que nos deixou num piscar de olhos. Para homenageá-la criamos um novo mascote, Bebelzinha da SUIPA, uma menininha sapeca mas repleta de ternura e amor pelo nosso planetinha com seus habitantes.

Ela se foi mas, continua viva em cada cantinho da SUIPA cuidando da bicharada e falando aos nossos corações. Para que você possa homenageá-la criamos um espaço onde poderá contar uma história que vivenciou com Bebel. Bem vinda Bebelzinha!

Izabel VIVE em nós
NINA NICKSUE MOURO CARNEIRO

Conheci a querida Izabel nos idos de 2002/2003..inicialmente, comparecia a campanha que a Suipa realizava no Boqueirão no Aterro do Flamengo e a ideia era adotar um animal para levar para um sítio em Tanguá, lembro perfeitamente da Izabel afirmando com muita veemência não ser possível, tendo em vista que, como regra, os caseiros não cuidam bem dos animais..À época não compreendi muito bem o significado da negativa mas com o passar dos anos consegui captar toda a sua preocupação.

Daquele tempo até os dias atuais, a ida às campanhas se tornou um programa cativo de sábado, sempre procurava levar o que pudesse auxiliar, muitos jornais, objetos para doação, etc, sem contar a "propaganda" com pessoas próximas, algumas se tornaram associadas ou doadoras..Comecei a ter um contato mais próximo dela, sempre trocávamos ideias acerca dos inúmeros problemas que a instituição vivenciava..Assim, diante da necessidade de desenvolver um trabalho científico na área jurídica, a ser apresentado na Escola da Magistratura do Estado do Rio, tive a intuição de fazer algo relacionado ao Direito dos Animais mas estava com um certo receio, pois desconhecia o assunto com maior profundidade e tinha a dúvida de apresentar um tema inédito em uma instituição tão tradicional como o TJRJ..troquei algumas ideias e relatei minha insegurança mas isso não foi problema para a Super Izabel, no mesmo momento pegou o telefone e me colocou em contato com tantas pessoas que foram fundamentais para a realização e conclusão do trabalho, tive a honra de ser apresentada ao Fabio Oliveira, Daniel Lourenço, Julio Dornelles, bem como contato com tantos outros.

Não tenho dúvida que sem a intermediação dela não seria possível realizar o trabalho no assunto escolhido, sendo assim, nada mais do que justo uma singela homenagem que fiz a sua pessoa nos agradecimentos da obra.

Na apresentação do trabalho ela fez questão de comparecer, foi um sucesso, inédito, o que também me proporcionou a grata satisfação de ter sido indicada a lecionar na Instituição.

Posteriormente, diante da necessidade de mudar de Estado, relacionadas ao trabalho do marido, as idas ao Focinho passaram a ser escassas mas, em todas as vezes que estava no Rio, comparecia nos dias da Campanha.

Relatei muitos problemas relacionados aos animais no Estado de MT, o que para ela, embora não conhecesse a região, não era novidade, pois a situação de abandono e maus tratos se repete em todas as cidades brasileiras.

Sempre disposta a ajudar todos os animais sem qualquer distinção, me colocou à disposição os profissionais da Suipa para capacitação em cursos dos veterinários que não possuíam qualquer domínio na especialidade animais de pequeno porte, e, começamos a sonhar juntas, a possibilidade de um dia a Suipa adquirir um ônibus que pudesse se deslocar até a cidade em que estávamos para realizarmos uma campanha de esterilização/castração.

Assim era Izabel, com olhos brilhantes quando se propunha a fazer qualquer coisa pela causa animal, imbatível e invencível diante de tantas dificuldades..trocávamos mensagens, ligações a qualquer hora do dia ou da noite para tratar de assuntos, situações relacionados aos animais, simplesmente pelo fato de que eles valem todo nosso esforço e dedicação.

Em maio de 2015, formalizei minha união civilmente e tive a ideia de substituir a lista de casamento por doações em dinheiro para Suipa, como forma de auxiliar um pouco mais os animais e a essa associação que é tão importante no Rio de Janeiro, que tanto contribuiu e contribui para tantas ações positivas em prol de todos os animais não humanos independente de qualquer fronteira.

Fora a contribuição em pecúnia, muitas pessoas mobilizaram outras para ajudar de forma permanente com rações e jornais, enfim, o intuito foi atingido, minha forma de agradecimento a tudo que a Suipa tem feito ao longo dos anos..ou melhor, a tudo que a Izabel fez, tenho certeza que muitas das vezes difícil separar a Suipa da Izabel e a Izabel da Suipa.

Nesse ano, me recordo que em julho quando em viagem para o Rio pensei, tenho que encontrar a Izabel no Focinho, de fato no dia 23/7 me dirigi ao evento e lá permaneci até o seu término e, após, fomos almoçar eu, ela e Julio..foi a nossa despedida, sem termos sido "avisados" que seria a última vez que estávamos ali reunidos..mas, sou profundamente agradecida, por ter tido esse momento, ainda, me considero honrada pela vida e espiritualidade de ter tido a possibilidade de conhecer uma pessoa como Izabel, tão intensa e tão aguerrida por uma causa tão nobre, que inspirava a muitos, talvez ela não fazia ideia de que muitas pessoas a admiravam, pelo trabalho, pela coragem, pela força..Ela costumava brincar que devia ter sido minha mãe em alguma encarnação..fato é que, sempre a admirei e me considerava em alguns momentos com uma personalidade muito próxima a dela.

O que ficou dessa nossa breve convivência de 13/14 anos foi o aprendizado, um legado que jamais irei esquecer, ela me fez despertar a consciência para algo que de alguma forma já estava plantado dentro de mim.

A vida no mundo da matéria não teria sentido sem sermos úteis de alguma forma ao próximo e isso ela fez muito bem, acima de qualquer interesse particular, não importa que esse próximo tenha sido os animais não humanos, eles também merecem a nossa profunda consideração, fazemos parte de um só planeta e o respeito por cada ser vivo nos levará a paz tão almejada nos dias atuais.. Todavia, quem a conhecia melhor sabia que também auxiliava a muitos animais humanos, procurava a reinserção de egressos do sistema prisional na sociedade, foi voluntária do CVV, enfim, valorizava todas as forma de vida.

Sem dúvida, sua partida deixou todos estarrecidos porque ainda temos a ideia de que certas pessoas são tão importantes que elas nunca nos deixarão, porém a Izabel vive, do lado de cá, no mundo material, dentro da memória e do coração de cada um dos muitos funcionários, associados e amigos pelos muitos exemplos que deixou, e do lado de lá, no mundo espiritual, a vida também continua para ela, apenas mudou de endereço porque encerrou sua missão brilhantemente entre nós..Dessa forma, o que podemos fazer é continuar esse trabalho dando nossa singela contribuição em favor dos animais não humanos, essa a grande lição que nos deixou

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal,
ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."

Albert Schweitzer (Nobel da Paz de 1952)
topo